Envios gratuitos acima de 30 €

AJUDA E CONSELHOS: shop@natureheals.pt | 961654507

Queda de Cabelo: descobrir as causas e chegar à raiz do problema

cabelo de mulher em imagem a preto e branco

A queda de cabelo afeta 50% das mulheres. 20% perdem cabelo após serem mães e 1 em cada 6 jovens mulheres terá grandes perdas de cabelo de forma prematura.
Estas são as estatísticas habitualmente apresentadas em vários estudos sobre um evento fisiológico que tem tanto de comum como de assustador: a perda de cabelo.

Mas porque nos cai o cabelo? E será preocupante?

Antes de mais, precisamos de entender a raiz das suas causas.

Podemos começar por imaginar uma árvore, enraizada em terra fértil e saudável. As raízes dos nossos fios de cabelo são um pouco assim. Como na Natureza, para uma raiz ser forte e saudável precisa que todo o seu organismo o seja também. Por isso, da próxima vez que vir um fio de cabelo, interiorize que a sua raiz é muito mais profunda do que aquela que vê na sua mão ou escova. Ela está enraizada no todo do seu organismo.

Por isso, podem ser muitas as causas para a queda de cabelo.

Sabemos que este é um fenómeno fisiológico natural e que tende a ser mais acentuado em determinados períodos do ano, como no Outono. Cada indivíduo perde, em média, cerca de 50 a 100 fios de cabelo por dia e está tudo bem. É um processo natural da fase de crescimento à fase de repouso dos folículos, durante os quais alguns se desprendem naturalmente.

Para as mulheres com longos cabelos e mais morenas é mais fácil de ver esta mudança natural.

Mas saiba que crescimento e queda natural de cabelo ocorrem de forma cíclica. E mesmo quando se trata de pequenas perdas naturais de cabelo, é sinal de que algo está a sensibilizar o nosso organismo.
Devemos, por isso, observar quando se torna uma queda excessiva e prolongada — criando até em alguns casos as famosas peladas ou clareiras.

Escovar o cabelo e ver grandes tufos na escova é sempre assustador. É algo muito pessoal quando vemos o ralo do duche coberto de fios de cabelo, ou o chão da casa de banho, a almofada ao acordar. Perder cabelo traz-nos constrangimento, vergonha e até ansiedade e depressão. Perturba-nos, afeta a nossa rotina, humor e qualidade de vida.

Vários fatores podem estar por trás da diminuição da densidade capilar. Precisamos de estar alerta.

Então quais são as causas mais comuns?

Os Desequilíbrios Hormonais e os Défices Nutricionais por detrás da queda de cabelo

ANSIEDADE E STRESS

O stress é um dos principais gatilhos de tantas doenças nos dias de hoje. A pressão social e o ritmo acelerado em que vivemos prejudicam diariamente a nossa produção de hormonas, tornando-as disfuncionais. Uma das principais causas do excesso da queda de cabelo é… o stress crónico, e consequente a desregulação do cortisol — conhecido como hormona do stress. Um longo período de stress ou um trauma pode fazer com que o nosso corpo economize em “ vaidade’, sinalizando prematuramente ao cabelo para parar de crescer, que requer uma quantidade surpreendente de energia celular (mitocondrial), mantendo seu cabelo na fase telógena – Fase de Repouso, por um longo período de tempo.

Além disso, quando estamos estressados, tendemos a comer e dormir menos e com menos qualidade, e o próprio stress faz-nos usar mais nutrientes, incluindo vitaminas B e zinco, importantes para o crescimento do cabelo.

Uma das soluções é recorrer a adaptogénios, como a Ashwagandha, que equilibra o cortisol e promove o crescimento do cabelo. Reforce o seu estado físico e mental e comece a priorizar o autocuidado. Crie horários e inclua na rotina tempo para descansar, parar, cuidar de si e dormir melhor!

PROBLEMAS DO SISTEMA DIGESTIVO

Uma das grandes razões para a queda de cabelo está relacionada com o sistema digestivo e pode ter que ver com vários fatores (por isso, de nada adianta gastar dinheiro em produtos capilares se não observar primeiro a saúde do seu intestino).

Novas pesquisas relacionam o microbioma intestinal à função cerebral, saúde do coração e açúcar no sangue. Relembramos que o mais importante para a saúde do cabelo é a absorção de nutrientes. Ao cuidar da sua alimentação, do seu intestino e ao tomar um probiótico diariamente, está a aumentar a quantidade de bactérias boas no seu intestino para ajudar a digerir os alimentos e fornecer nutrientes vitais para seus folículos, ao mesmo tempo que diminui o stress.

> Problemas do Sistema Digestivo associados a queda de cabelo:

  • Crescimento de H. Pylori (batéria que causa inflamação no estômago aasociada à gastrite, úlcera peptida e determinados tipos de cancro no estômago, prejudica a barreira protetora e estimula a inflamação. Geralmente conectada à deficiência de ácido clorídrico no estômago, ela impede a adequada digestão proteica e a absorção de nutrientes).
  • Doença celíaca não diagnosticada
  • Parasitas
  • Disbiose intestinal
  • Síndrome do intestino irritável

DOMINÂNCIA ESTROGÉNICA

A dominância estrogénica é um desequilíbrio extremamente comum e pode alimentar a queda de cabelo. Sendo que o estrogénio está envolvido no prolongamento da fase de crescimento e no tempo que o cabelo leva para ficar mais grosso, em algumas mulheres o excesso de estrogénio pode ser um gatilho para a queda de cabelo, pois ativa a variante de um gene que afeta o funcionamento de uma enzima (a aromatase — que processa o estrogénio).

Para outras mulheres, o problema com a dominância estrogénica é que elas também apresentam níveis mais baixos de progesterona (que atua como um inibidor da aromatase) em relação ao estrogénio — sendo que a progesterona ajuda a proteger os folículos capilares dos efeitos da testosterona, DHT e dos estrogénios, na queda de cabelo.

HIPOTIROIDISMO

A queda de cabelo significa muitas vezes a queda na produção de hormonas da tiróide, o que indica uma função sub-ótima desta glândula. É um problema diagnosticado na maioria das vezes tardiamente, porque o intervalo de avaliação analítica para a função da tiróide e muito grande e “considerado normal”, quando já existem sinais e sintomas associados à disfunção, ao qual deixamos de estar no intervalo ÓPTIMO para a sua função. Infelizmente, este é um problema muito comum em mulheres a partir dos 35 — quando o metabolismo desacelera e, por isso, começam a surgir sintomas como aumento de peso, falta de energia, pés e mãos frias, obstipação, cansaço. Este desgaste tem um impacto no folículo capilar, impedindo-o de crescer e usar nutrientes para dar brilho e suavidade.

DEFICIÊNCIAS NUTRICIONAIS

Os nossos folículos capilares precisam de glicose, proteína vitaminas e minerais para conseguir produzir cabelo.

Quando existe uma queda excessiva de cabelo, pode ser sinal de alguns nutrientes em défice. O nosso cabelo é composto, principalmente, por uma proteína chamada queratina, que dá força ao cabelo.

Mas, para além da queratina, existem vitaminas: vitamina do complexo B; a B12; a B9; a D e a  Biotina;  minerais em défice como  ferro devido  a períodos abundantes; endometriose ou fibromas uterinos;  magnésio e zinco essenciais, que são necessários para prevenir a perda, fragilidade e falta de brilho no cabelo. 

PÓS-PARTO

Um bom exemplo de uma causa temporária, mas que pode durar meses é a queda de cabelo pós-parto. Esta está relacionada com a queda de estrogénio ocorrida após o parto e dá- se normalmente 4 meses após o parto. Durante a gravidez, o corpo tem níveis mais altos de estrogénio (e progesterona). Este fenómeno aumenta e prolonga a “fase de repouso” do cabelo. Quando o estrogénio cai após a gravidez, todo o cabelo que estava a “repousar” na cabeçacomeça a soltar-se. Por outro lado, o excesso de estrogénio provoca também muitas vezes níveis mais baixos de progesterona (a hormona que ajuda a proteger os folículos capilares dos efeitos da testosterona, DHT e dos estrogénios). É por isso extremamente importante manter a toma das suas vitaminas Pré-Natal. Outra dica é fazer infusão de urtigas e tomar 1 a 3 chávenas ao dia.

RESISTÊNCIA À INSULINA

As células do folículo piloso têm um ciclo mais rápido do que qualquer outra célula do corpo. A insulina regula o metabolismo após a ingestão de hidratos de carbono, para que o corpo possa usar esses nutrientes como fonte de energia e para fazer o cabelo crescer. Isso requer níveis de glicose estáveis. O que se consegue com uma alimentação equilibrada rica em vegetais, gordura, fibra e bom aporte proteico, exercício físico diário, bons padrões de sono e consumo de hidratos de carbono com um baixo índice glicémico.

IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO

A restrição calórica provocada por jejum, alimentação insuficiente, anorexia nervosa são causadores de distúrbios a nível capilar igualmente. Mais uma vez, os folículos capilares precisam de energia, precisam que se alimente bem! Deve ingerir carbohidratos, proteínas e gordura saturada suficientes para que as vitaminas e minerais sejam absorvidos pelo seu organismo, da ponta dos pés à ponta do cabelo!

 

EXPOSIÇÃO A QUÍMICOS, ELEMENTOS TÓXICOS E METAIS PESADOS

A perda abrupta de cabelo pode ser provocada por químicos, como as tintas de cabelo, que danificam o couro cabeludo, e a cosmética capilar. Claro que precisa lavar o cabelo e, sim, há dias em que o shampoo seco é a única solução para sair de casa. No entanto, o uso excessivo do produto pode causar acúmulo, obstrução dos poros e aumento da exposição a produtos químicos. Deixe um ou dois dias entre as lavagens e não use produtos de modelagem desnecessários. Spray de cabelo em cima de spray de brilho em cima de shampoo seco em cima de spray espessante é muito para os seus folículos manipularem. Com este cenário, o nosso conselho é que verifique os rótulos e veja se os seus são livres de parabenos, sulfatos e outros ingredientes conhecidos por fazerem mais mal do que bem.

 

Ame o seu cabelo saudável e natural

 

O cabelo faz parte da nossa identidade, é um elemento natural de auto-expressão. Cabelo curto, estilo Bob, rockeiro, longo, com tranças ou rabo de cavalo, escadeado ou encaracolado. Na sociedade, ao longo da História, o cabelo foi sempre sinal de beleza, juventude, saúde e energia feminina.

A prová-lo está toda a indústria à volta do cabelo: as madeixas, mechas, perucas exuberantes que nos fazem perder a noção do que é um cabelo natural.

Com a chegada do Outono, a Natureza muda de cores. As árvores enchem-se de folhas amarelas, laranjas e avermelhadas que, por fim, começam a cair e a colorir o chão. É uma das alturas mais bonitas do ano, não é? A renovação faz parte da Natureza, por isso, é natural que em alguns meses do ano haja igualmente em nós este ciclo a cumprir. Neste caso, a queda de cabelo natural. No entanto, precisamos de estar atentos a este processo pois, muitas vezes, ele mostra-nos que algo de errado está na «raiz» do nosso organismo, tal como uma árvore saudável ou doente.

Ao compreendermos que o nosso corpo, tal como qualquer elemento da Natureza, é um organismo que trabalha como um todo, conseguimos ouvi-lo melhor, perceber os sinais e saber que a queda de cabelo pode estar a ser desencadeada por algum problema na nossa raiz e tronco. Ou seja, um mal que está a agredir igualmente outra parte do nosso corpo e ainda não notámos. 

Quão comum é a perda de cabelo em mulheres? Já sabemos que é talvez um dos sintomas mais comuns, apesar de nos sentirmos afetadas e diminuídas quando tal nos acontece. Por isso, acima de tudo, cuide do equilíbrio do seu sistema hormonal. Cuide de si, da sua natureza!

 Opções que lhe podem interessar:

Outros temas que podem ser do seu interesse:

Cuide de si.
Você merece.

Vamos falar

Abrir chat WhatsApp.
1
Olá. Podemos ajudar?
Nature Heals
Olá.
Como podemos ajudar?